quinta-feira, 10 de abril de 2008

Energia Estática


Na Antiguidade, na Grécia, usava-se o âmbar na tecelagem (confecção de tecidos). O âmbar é uma seiva de uma árvore endurecida, retirada de vegetais fósseis. Ele era usado como carretéis para enrolar os fios e para tecer.
Foi aí que um fenômeno foi observado: os carretéis de âmbar que roçavam nas saias das tecelãs ficavam com uma energia que atraía os fios de pano e partículas de poeira.
Esse fenômeno começou a chamar a atenção de filósofos naquela época. Um deles foi Thales, que fez muitas experiências e comprovou esse fenômeno.
Como na Grécia, âmbar era elektron, ficou eletricidade o nome do fenômeno.
Essa eletricidade é a eletricidade estática, pois não se movimenta.
Nas nuvens também existe eletricidade estática. Dentro de uma nuvem carregada, o ar faz com que aconteça atrito dentro das gotículas d’água. A nuvem fica carregada de eletricidade. Quando uma nuvem se bate na outra acontece a descarga de eletricidade. Dessa carga elétrica se produz o relâmpago.
Beijamin Franklin pegou uma pipa com uma ponta de metal e ficou segurando a linha que amarrava a pipa. Na ponta da linha que ele segurava amarrou uma chave. Então, em uma noite de tempestade, ele soltou a pipa e ficou esperando. Quando um raio caiu, saíram faíscas da chave.
A energia elétrica é gerada no gerador. O gerador é um equipamento que transforma energia cinética (do movimento) em energia elétrica. Isto é possível graças ao magnetismo de ímãs dentro do gerador sempre que há geração de energia elétrica há magnetismo junto.

3 comentários:

Energia disse...

gostei do texto turma!
bjs, Neila

Anônimo disse...

esse blog ta uma [][][][][][][][]
voces nunca vao descobrir quem eu sou




Ass: anônimo

leticia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.